Tema: ,

10 parasitas perigosos que podem estar na sua comida


Partilhar
10 parasitas perigosos que podem estar na sua comida
Os parasitas são criaturas capazes de nos fazer passar mal por principalmente dois motivos.

Primeiro quando tomamos conhecimento daquilo que esses vermes minúsculos são capazes de fazer, e segundo quando, infelizmente, decidem aparecer no nosso sistema digestivo.

Se você sempre quis saber como os parasitas chegam até nós, o que causam e como evitá-los, confira a lista a seguir, divulgada pelo Mashable, reunindo os 10 parasitas mais perigosos do mundo.

10. Trypanosoma cruzi


Esse parasita é responsável pela Doença de Chagas, caracterizada pelo seu desenvolvimento lento e, em muitos casos, praticamente invisível. Com o passar do tempo o paciente desenvolve problemas fatais relacionados principalmente ao intestino e ao coração.

Trypanosoma cruzi


A contaminação ocorre geralmente pelo contato com as fezes dos insetos conhecidos popularmente como barbeiros. A transmissão ocorre por meio da ingestão de alimentos contaminados, da picada do inseto, da transfusão de sangue, do transplante de órgãos e de mãe para o feto.

Pesquisas recentes descobriram que é possível ocorrer contaminação também por meio da ingestão de alimentos infectados. Sabe-se que muitos casos recentes foram causados pela ingestão de caldo de cana e frutas contaminadas.

9. Ascaris spp.


Ascaris spp.


Esses vermes chegam a medir 35 cm durante sua estadia no intestino humano. Só para você ter ideia, 25% da população têm um desses bichinhos vivendo em seu intestino, fazendo com que ele seja o parasita mais comum em humanos.

A contaminação ocorre pela ingestão dos ovos desse parasita, que cresce no intestino e migra para outras partes do corpo, chegando aos pulmões e seguindo para a garganta, onde é engolido; aí vai para o estômago e novamente para o intestino, onde se desenvolve e vira adulto.

A fêmea produz centenas de ovos por dia. Esses ovos são eliminados pelas fezes e acabam contaminando o ambiente, espalhando a doença ainda mais. Descobriu-se recentemente que a espécie Ascaris suum é capaz de infectar humanos.

8. Opisthorchiidae


Opisthorchiidae


Esses platelmintos são mais populares na Ásia, ainda que algumas espécies também sejam comuns na Europa e na Rússia. A contaminação ocorre pelo consumo de peixes contaminados crus ou mal cozidos. Quando ingeridas as larvas ficam adultas e passam a viver no ducto biliar e na vesícula.

Infecções crónicas por estes vermes estão significativamente associadas com o aparecimento de câncer de fígado e também no ducto biliar. Uma maneira de prevenir o contágio é congelando ou cozinhando os peixes de água doce.

7. Trichinella spiralis


Trichinella spiralis


Trata-se de uma lombriga de porco responsável pelo aparecimento de uma doença conhecida como triquinose, que é uma infecção muscular causada pelo consumo de carne de porco crua ou mal cozida ou, ainda, pelo consumo de salsichas defumadas.

É impossível enxergar os cistos na carne contaminada, mas cada uma dessas estruturas contém larvas que, uma vez no sistema digestório, se multiplicam e invadem os tecidos musculares, onde se fixam.

6. Entamoeba histolytica


Entamoeba histolytica


Esse parasita também considera o intestino humano um bom lugar para viver e, uma vez que você seja contaminado por ele, você vai sentir muita dor abdominal e ter episódios de diarreia. Se isso acontecer, procure um médico, especialmente se houver presença de sangue.

5. Cryptosporidium spp.


Cryptosporidium spp.


Esse protozoário é transmitido por meio do consumo de água contaminada ou do uso de água contaminada para lavar alimentos. Além disso, é preciso ter cuidado ao consumir leite não pasteurizado e frutos do mar cujas origens sejam desconhecidas.

O principal sintoma de contaminação é a diarreia severa. Uma das formas de evitar a ingestão desse tipo de verme é sempre lavar os produtos de feira com água potável, mesmo os que já são embalados e considerados já lavados.

4. Toxoplasma gondii


Toxoplasma gondii


A infecção entre humanos varia de 10 a 80% em diferentes regiões do mundo. Esse parasita geralmente fica em estado latente durante toda a vida do seu hospedeiro, por isso a maioria das pessoas não apresenta sintomas nem sabe que está infectada.

Os pacientes mais afetados por esses parasitas são as mulheres grávidas, uma vez que o protozoário é capaz de chegar até à placenta e provocar a má formação do feto e até mesmo aborto espontâneo – por isso é bom que mulheres grávidas evitem trocar a areia de gatos.

3. Echinococcus multilocularis


Echinococcus multilocularis


Esse tipo de solitária é mais comum na América do Norte e na Europa, fazendo de raposas e roedores seus hospedeiros favoritos, podendo se instalar também em cachorros e gatos. Quando infecta humanos, é responsável pela doença conhecida como equinococose alveolar.

Essa doença produz a formação de cistos em diversos órgãos internos. Esses cistos, por sua vez, são capazes de se reproduzir e se espalhar rapidamente, podendo provocar a morte do paciente que não faz o tratamento médico.

2. Echinococcus granulosus


Echinococcus granulosus


São vermes que se hospedam geralmente em cachorros ou ovelhas. Humanos podem se infectar por meio da ingestão acidental de ovos desses protozoários, presentes nas fezes dos animais portadores.

Outra forma de contaminação é por meio do consumo de alimentos que tiveram contato direto com solo contaminado. É preciso entender que os ovos desses vermes são extremamente resistentes e podem ficar preservados por meses, mesmo quando congelados.

Assim que o hospedeiro ingere os ovos do protozoário, o primeiro órgão afetado é o fígado e, em seguida, inúmeros cistos se espalharão pelo corpo e só causarão mais problemas anos depois da contaminação.

1. Taenia solium


Taenia solium


Essa é a solitária mais famosa das lombrigas, podendo chegar a medir até 10 metros quando adulta, o que a coloca como um dos maiores vermes de todos. Humanos são infectados por solitárias geralmente através da carne de porco, que pode ter larvas minúsculas desse verme.

Quando não cozidas totalmente, os parasitas acabam chegando ao sistema digestivo, onde se desenvolvem e se alimentam dos alimentos que consumimos. As doenças relacionadas a esse verme incluem principalmente a desnutrição.

No entanto, no caso da ingestão dos ovos em vez das larvas, pode causar a cisticercose, que prejudica principalmente o sistema nervoso central, dando origem a crises epiléticas e a outros problemas motores. [Megacurioso, Mashable]

0 comentários:

Enviar um comentário

Contacto

Nome

Email *

Mensagem *

Últimos