Tema: ,

Picada de carrapato faz pessoas carnívoras virar vegetarianas


Partilhar
Picada de carrapato faz pessoas carnívoras virar vegetarianas
Você gosta de carne vermelha? Saiba que uma simples picada de um carrapato pode transformá-lo num vegetariano, impedindo que você coma essa carne.

Essa é a conclusão de diversos cientistas americanos, que têm observado o surgimento de pessoas com alergias a carne vermelha por causa da mordida de um tipo de carrapato da espécie Amblyomma americanum.

O problema não é novo, mas esses casos têm aumentado nos Estados Unidos, principalmente em Long Island, no estado de Nova York.

Em alguns casos, comer um simples hambúrguer faz com que as pessoas tenham que ser hospitalizadas, com complicações sérias geradas pela alergia. Ao portal NBC, o médico Greg Cergol afirmou que a espécie é um tipo de carrapato estrela solitário.

No entanto, pesquisadores acreditam que existem outros tipos de carrapatos que também podem causar alergias, pois há relatos de casos na Austrália, França, Alemanha, Suécia, Espanha, Japão e Coreia.

Tais carrapato estão munidos com uma substância chamada galactose-alfa, que é um tipo de açúcar que pode ser encontrado nas carnes vermelhas e em produtos com leite. Normalmente, a substância não faz qualquer mal.

O problema acontece quando a galactose-alfa entra na corrente sanguínea através da picada do carrapato. O corpo entende que a substância é algo que faz mal à saúde e começa a produzir anticorpos para combater o invasor.

A partir desse momento, o organismo grava essa informação e qualquer galactose-alfa que entre no organismo pela carne provocará uma reação potente imunitária do organismo. A americana Louise Danzig, de 63 anos, desenvolveu a alergia.

Ela afirmou em entrevista à NBC que não sabia que tinha sido picada por um carrapato. Mas depois de ter comido um hambúrguer teve uma alergia tão intensa que as suas vias respiratórias começaram a fechar. Um exame de sangue confirmou a alergia.

Os médicos não sabem se a alergia é permanente ou se dura durante um determinado período de tempo, sendo os sintomas tratados com anti-histamínicos. Em casos mais graves, os médicos passam adrenalina intravenosa para ajudar os pacientes.

Algumas pessoas já diagnosticadas carregam doses de adrenalina consigo para o caso de comerem algo que não saibam que contém carne, como alimentos industrializados. Scott Commins, da Universidade de Virgínia, disse que vê entre dois a três casos dessa alergia todas as semanas.

Já Erin McGintee, médica de Long Island, afirma já ter visto mais de 200 casos da doença nos últimos três anos. Atualmente, ela está a trabalhar numa base de dados com outros pesquisadores para entender melhor a doença. [info]

0 comentários:

Enviar um comentário

Contacto

Nome

Email *

Mensagem *

Últimos