Tema: ,

Dietas podem causar problemas alimentares e psicológicos


Partilhar
Dietas podem causar problemas alimentares e psicológicos
De acordo com a nutricionista e pesquisadora Sophie Deram, a receita para o bem-estar reside numa alimentação prazerosa e da falta de preocupações.

A nutricionista acrescenta que uma dieta muito restritiva oferece um risco maior de desenvolver transtornos alimentares.

De facto, um estudo avaliou que a restrição aumenta esse risco em 18 vezes. E nem todas as pessoas reagem da mesma maneira. Há pessoas que desenvolvem bulímia, compulsão ou até anorexia.

O transtorno alimentar é uma adaptação do perfil genético. A ciência já provou que há um gene com uma variação que, quando você faz a dieta uma vez, provoca um risco muito alto de ter bulímia. O stress gerado com a dieta afeta o cérebro e pode desregular o organismo, acrescentou.

A pesquisadora aponta também que quanto mais cedo se começa uma dieta, mais forte é o risco porque o corpo está em processo de crescimento. A nutricionista critica também o uso de medicamentos e shakes de emagrecimento porque desregulam o equilíbrio do organismo.

Para Deram, a pessoa fica presa num círculo vicioso. Emagrece, engorda de novo e acha que fracassou. Esse processo de proibição de alguns alimentos em dietas é classificado como 'terrorismo nutricional', resultado de uma série de regras alimentares para cumprir.

Em geral, as pessoas não conseguem mantê-las por muito tempo. Cerca de 95% das pessoas que fazem dieta fracassam. As restrições funcionam no começo, mas não a longo prazo. As pessoas voltam ao peso inicial e até ganham mais quilos, afirma a nutricionista.

Para ela, a restrição brutal não é saudável e interfere nas sensações controladas pelo cérebro. Assim, as pessoas têm um aumento de apetite sem distinguir entre o que é fome e o que é ansiedade, exemplifica a nutricionista.

Para a pesquisadora é necessário convencer o paciente a voltar a sentir fome até à saciedade. As pessoas geralmente não escutam e não sabem mais o que é fome, ansiedade, cansaço, felicidade. Tudo se torna um motivo para comer.

De facto, é necessário fazer a pessoa voltar a conversar com o próprio corpo em vez de obrigá-lo a ir até onde não quer, destacou ainda Deram. É também importante evitar a frustração de conviver com ingredientes proibidos.

"O primeiro passo para o controle do peso de forma consciente é avaliar como está a saúde, entender o porquê você engordou", indica a nutricionista, que ressalta ainda que é possível emagrecer comendo os seus alimentos preferidos.

"O peso funciona como uma consequência de um comportamento geral. Focar em um alimento só é um erro. Dá para comer chocolate de maneira moderada até atingir a saciedade e não engordar", concluiu a pesquisadora. [info]

0 comentários:

Enviar um comentário

Contacto

Nome

Email *

Mensagem *

Últimos